top of page
Buscar
  • prcarne

Ingredientes naturais e perspectivas do mercado em debate no Seminário Intern. de Industrialização

Evento iniciou nesta quinta-feira (14), durante a programação da Mercoagro 2023


Realizado desde a primeira edição da Feira Internacional de Negócios, Processamento e Industrialização da Carne (Mercoagro), o Seminário Internacional de Industrialização da Carne acontece nesta quinta e sexta-feira (14 e 15) e trouxe como primeiros debates ingredientes naturais na produção de proteínas e perspectivas do mercado da indústria da carne. O mais importante evento da programação científica da Mercoagro acontece das 9h às 12h30, no Salão Nobre da Unochapecó. O evento é uma ação conjunta entre a Mercoagro, o UniSENAI Campus Chapecó e o Instituto SENAI de Tecnologia (IST) em Alimentos e Bebidas.


Se pronunciaram na solenidade de abertura o vice-presidente regional oeste da FIESC, Waldemar Schmitz, o presidente da ACIC, Lenoir Broch, o gestor da Mercoagro, Nadir José Cervelin, a diretora do UniSENAI Campus Chapecó, Josiane Betat, e o gerente de Serviços Tecnológicos do Instituto SENAI de Tecnologia em Alimentos e Bebidas, Alceri Antonio Schlotefel.


O primeiro palestrante, diretor de Desenvolvimento de Negócios para México e América Central da Kalsec, Hector Reséndiz, explanou sobre o tema “Agregando valor aos seus produtos com ingredientes naturais”. Ele enfatizou a importância dos valores dos consumidores, das empresas e dos ingredientes utilizados para atender as expectativas do mercado, mantendo a qualidade dos produtos e a sustentabilidade dos negócios.


Entre os valores dos consumidores, citou a busca por sabores simples ou específicos, pela nutrição, sustentabilidade dos produtos e experiências. “Existem muitas inovações, mas algumas vezes basta apenas ouvir as pessoas e dar para elas o que querem”, frisou Reséndiz. Salientou que muitas vezes a inovação pode ser feita com sabores simples, com a utilização de ingredientes como tomate, orégano, cebola e alho. Por outro lado, é preciso pensar em sabores mais complexos e específicos para determinadas regiões, como a utilização de temperos chineses, japoneses e mexicanos.


O palestrante também abordou sobre valores das indústrias produtoras de alimentos, como a necessidade de reduzir custos mantendo ou melhorando a qualidade dos produtos, simplificar o processo produtivo, inovar e ter uma boa comunicação com o mercado. “O cliente final está preocupado com a qualidade da proteína que consome. As pessoas têm informações na internet e avaliam o valor nutritivo, a qualidade e buscam também por outros tipos de proteínas, como as vegetais”, avaliou Reséndiz.


Há décadas são feitas pesquisas para criar padrões, novos ingredientes e temperos e diferentes colorações para os produtos cárneos. Uma tendência é o uso de ingredientes naturais nessas aplicações, como alguns tipos de chás, pimentas, tomates, cebola e alho, assim como a realização de combinações desses produtos. “Tudo depende do que o cliente busca, se quer algo mais natural, um sabor específico, um produto sustentável e conciliar isso com os valores da empresa”, expôs o palestrante. Reséndiz concluiu enfatizando a importância da experiência. “Não é apenas uma questão de sabor, de cor, de aparência. É toda a experiência que o produto proporciona ao consumidor”.


PERSPECTIVAS DO FUTURO


A consultora técnica em carnes da Duas Rodas, Ana Cristina Oliveira, abordou o tema “Perspectivas do futuro de mercado na indústria cárnea”. Ela falou sobre a tendência do mercado de carnes, a projeção de crescimento para o futuro com olhar de tendência do consumidor, o crescimento do mercado de carnes e o aumento da população mundial. Também abordou sobre o mercado de plant-based e de carne cultivada.


Ana enfatizou as necessidades dos consumidores. “Temos um consumidor mutável. Ele não é mais estático, está sempre inovando e mudando”, salientou. Sobre o futuro das proteínas cárneas, frisou que vão coexistir proteínas animais, alternativas à base de plantas e carne cultivada. “O mercado de carne cultivada e plant-based será de soma e não de competição”. Além disso, continuarão os debates sobre bem-estar humano e animal e sobre a preparação da cadeia de abastecimento sustentável. “Analisar a perspectiva de mercado é importante para antecipar demandas, identificar oportunidades, reduzir riscos, manter-se competitivo e adaptar-se às mudanças”, sublinhou.


A população global terá um total de 8,55 bilhões de pessoas em 2030, 9,7 bilhões em 2050 e 10,4 bilhões em 2100. A produção de proteínas continuará crescendo, o que é fundamental com o aumento populacional. Nesse sentido, Ana expôs que haverá incremento da produção de alimentos enlatados/temperatura ambiente, seguido pelos congelados e resfriados. “Além disso, há um índice preocupante de subnutrição no mundo. Não é tarefa fácil resolver, mas precisa de um movimento de políticas públicas para os alimentos chegarem às regiões menos favorecidas”, avaliou.


A palestrante enfatizou que o que impulsiona o mercado de carnes é o aumento da população mundial e o desenvolvimento contínuo de tecnologias. A visão para o futuro aborda quatro aspectos: saudabilidade – com o consumidor atento à saúde e em busca de teor proteico e fibras; sustentabilidade – que engloba consumo consciente com menos desperdícios; proteínas alternativas, a base de plantas e carne cultivada; e o crescimento anual da produção. “Vamos atender a todos, veganos, vegetarianos e flexetarianos. É um futuro onde coexistem proteínas de carnes, vegetais e de carne cultivada. É um grupo de teor proteico que vai trazer alimentação”, concluiu.


PROGRAMAÇÃO DO SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE INDUSTRIALIZAÇÃO DA CARNE

15/09 – SEXTA-FEIRA


• 9h – Design higiênico de equipamentos: Impactos na operação e segurança de alimentos

Palestrante: Dra. Ellen Lopes

• 9h45 – Bem-Estar Animal

Palestrante: Filipe Antônio Dalla Costa

• 10h30 – Coffee break / Networking

• 11h – Inteligência artificial na indústria de alimentos: aplicações e cases de sucesso

Palestrante: Giancarlo Marchesini

• 11h45 – Tendências de mercado: agregando valor aos embutidos

Palestrante: Juliane Schneider

• 12h30 – Encerramento

Foto 01 – Seminário Internacional de Industrialização da Carne acontece nesta quinta e sexta-feira (14 e 15) (Foto: UQ Eventos).

Foto 02 – Hector Reséndiz explanou sobre ingredientes naturais (Foto: MB Comunicação).

Foto 03 – Palestra de Hector Reséndiz abriu programação do Seminário (Foto: UQ Eventos).

Foto 04 – Ana Cristina Oliveira abordou sobre perspectivas do futuro de mercado na indústria cárnea (Foto: MB Comunicação).

Foto 05 – Palestrante falou sobre o presente e o futuro (Foto: MB Comunicação).

Foto 06 – Público acompanhou atento as palestras (Foto: MB Comunicação)

Foto 07 – Waldemar Schmitz, vice-presidente regional oeste da FIESC (Foto: MB Comunicação).

Foto 08 – Nadir José Cervelin, gestor da Mercoagro (Foto: MB Comunicação).

Foto 09 – Lenoir Broch, presidente da ACIC (Foto: UQ Eventos)

Foto 10 – Josiane Betat, diretora do UniSENAI Campus Chapecó (Foto: MB Comunicação).

Foto 11 – Alceri Antonio Schlotefeldt, gerente de Serviços Tecnológicos do Instituto SENAI de Tecnologia em Alimentos e Bebidas (Foto: MB Comunicação).


Fonte: MB Comunicação Empresarial/Organizacional

Jornalista Responsável – Marcos A. Bedin – MTE SC 00085-JP

Rua Nilópolis, 251 D - Bairro Universitário - 89814-510 - Chapecó/SC


0 visualização0 comentário

コメント


bottom of page