Buscar
  • prcarne

Importações de carne suína sul-coreana caíram até agora em 2021, mas produção restrita pode oferecer

A Coreia do Sul importou 5% menos carne de porco (incluindo miudezas) durante os primeiros quatro meses de 2021


Continuando a tendência observada em 2020, a Coreia do Sul importou 5% menos carne de porco (incluindo miudezas) durante os primeiros quatro meses de 2021 em comparação com o mesmo período do ano anterior.


Um total de 148,8 mil toneladas de carne suína foram importadas para o país durante o período, 7,5 mil toneladas a menos com relação ao ano anterior.


O principal fator para a queda foi uma queda de 91% nos embarques da Alemanha, devido à proibição relacionada ao ASF atualmente em vigor. Os volumes dos EUA também caíram, 18%. Isso foi suficiente para compensar as remessas maiores de outras partes da Europa, incluindo Espanha, Dinamarca, Holanda e Áustria. Mais carne de porco também foi recebida do Reino Unido, apesar de ser um fornecedor relativamente pequeno.


Apesar das importações estarem menores até agora este ano como um todo, os volumes aumentaram no comparativo mensal, com março e abril também sendo maiores do que há um ano.


A última previsão do USDA sugere uma queda de 3% na produção doméstica de carne suína na Coreia do Sul em 2021. Relatórios sugerem que muitos produtores reduziram o número de porcas no segundo semestre de 2020, devido aos preços mais baixos da carne suína no atacado, o que levará a um abate menor de suínos.


A produção pode ser ainda mais prejudicada pela ASF, se os casos retornarem em uma escala mais ampla. A ASF está presente em javalis na Coreia do Sul, mas relatórios da indústria observam que a ASF foi confirmada em vários porcos em uma fazenda na província de Gangwon no início de maio. Isso marca os primeiros casos relatados em porcos domesticados em sete meses.


Apesar da queda nas importações até agora em 2021, o USDA espera que a Coreia do Sul importe 16% mais carne suína em 2021 com relação ao ano anterior. Isso se deve em parte à produção mais baixa, mas também provavelmente devido a um aumento previsto no consumo fora de casa em 2021, conforme as restrições da COVID-19 são atenuadas (a carne suína importada é consumida principalmente fora de casa na Coreia do Sul).


Fonte: Suinocultura Industrial

0 visualização0 comentário