Buscar
  • prcarne

China visa rebanho de matrizes em cerca de 43 milhões de cabeças até 2025

A China pretende manter seu rebanho de matrizes reprodutoras em cerca de 43 milhões de cabeças durante o período até 2025, disse o governo na sexta-feira, uma vez que pretende colocar a produção de rebanho em uma base firme, já que os animais foram dizimados pela Peste Suína Africana (PSA).


Após o ataque da doença detectada pela primeira vez na China em 2018, a produção se recuperou aos níveis normais, mas sua base precisa ser fortalecida para garantir o abastecimento seguro, disse o governo em um documento de política.


O estoque mínimo de porcas não será inferior a 40 milhões de cabeças no período de 2021 a 2025, o Ministério da Agricultura e outros ministérios disseram em um comunicado conjunto.


Os esforços visam “melhorar a recuperação do rebanho de suínos, prevenir grande volatilidade da capacidade de produção e promover o desenvolvimento saudável e sustentável da indústria de suínos vivos”, disseram eles.


No mês passado, um funcionário do governo disse que o rebanho de porcos da China chegava a 439 milhões de cabeças no final de junho, um aumento de 99,4% em relação ao nível do final de 2017, enquanto o rebanho de porcas de 45,64 milhões cresceu 102% em relação ao mesmo período.


A China aconselhará os criadores de suínos a reabastecer as porcas ou se livrar das menos produtivas quando o rebanho mensal de porcas mudar mais de 5% em relação ao ano anterior, mostra o documento de sexta-feira.


Pequim liberou a carne suína das reservas estaduais para ajustar a oferta e os preços do mercado, em um esquema recente para estabilizar a produção de suínos.


A China também pediu às autoridades locais que registrem fazendas de suínos com mais de 500 animais, monitorando a produção e a operação. Os governos provinciais estabelecerão uma meta para o rebanho de porcas e fazendas maiores, mostrou o comunicado.


As administrações provinciais podem oferecer subsídios pontuais para fazendas maiores se o rebanho mensal de porcas cair mais de um décimo em relação ao ano anterior ou a criação de suínos vivos acumular perdas por mais de três meses consecutivos, disse o relatório.


O planejador estatal da China se comprometeu na sexta-feira a garantir suprimentos suficientes de commodities “essenciais para a subsistência”, depois que enchentes atingiram algumas regiões e o ressurgimento de infecções por COVID-19 geraram novas preocupações.


Fonte: Notícias Agrícolas por Reuters

6 visualizações0 comentário