top of page
Buscar
  • prcarne

Aurora Coop apresenta resultados positivos e avanços no mercado externo em ano de desafios

A Cooperativa faturou R$ 22 bilhões e consagrou-se como a maior exportadora brasileira de carnes suínas em 2022


Apesar da conjugação de dificuldades que marcou o período, a Cooperativa Central Aurora Alimentos (Aurora Coop) – terceira maior empresa de alimentos do Brasil – encerrou 2022 com resultados positivos: obteve receita operacional bruta da ordem de R$ 22 bilhões, resultado 13% superior ao ano anterior. As sobras do exercício foram de R$ 649,0 milhões.


Ao apresentar os resultados, o presidente Neivor Canton observou que o exercício recém-encerrado “foi particularmente complexo para a indústria mundial da proteína animal em razão da associação de múltiplos fatores, desde a instabilidade política brasileira até as incertezas econômicas e políticas globais, em um mundo que ainda padece dos efeitos da pandemia. Essa situação gerou um cenário de muita imprevisibilidade que exige máxima atenção dos agentes econômicos”.


O aumento dos custos de produção, em grande parte decorrentes das dificuldades causadas pela inter-relação das crises ambiental, econômica e política, agravadas pela guerra Rússia-Ucrânia, perturbaram as cadeias internacionais de suprimento, afetando diretamente o Brasil. Os reflexos foram sentidos na escassez de contêineres, de navios, de milho e farelo de soja (matéria-prima básica da nutrição animal), além de insumos para a agricultura, aditivos, vitaminas, enzimas, aminoácidos etc. O conflito desorganizou a economia global, causou crise energética na Europa e contribuiu para o avanço da inflação nos Estados Unidos, China, Reino Unido e Zona do Euro.


Nessa conjuntura foi inevitável – de acordo com o presidente – que fatores relevantes impactassem o desempenho nas áreas essenciais, como a agropecuária (menor disponibilidade de pintainhos no mercado), logística (reajustes nos custos de fretes causados pela elevação no preço dos combustíveis, especialmente o diesel), industrial (menor captação de leite, escassez de mão de obra e baixa demanda comercial para itens industrializados), administrativa (aumento significativo na taxa de juros praticados pelo mercado) e área comercial (demanda reprimida por itens de valor agregado).


Em 2022, o mercado interno respondeu por 64,3% (R$ 14,1 bilhões) da receita operacional bruta e absorveu 65,6% da produção. O mercado externo contribuiu com 35,7% (R$ 7,9 bilhões) das receitas e despachou para mais de 80 países 34,4% da produção.


Canton explica que vários aspectos concorreram para o bom desempenho das exportações, entre eles, a abertura do mercado canadense para a carne suína brasileira (Aurora Coop foi a primeira empresa brasileira a embarcar para aquele país), consolidação do mercado suíno no Japão, retorno da habilitação da unidade de frango de Xaxim (SC) para a China, abertura do mercado do México para suíno, primeira exportação de processados para o Paraguai, primeiro contêiner de cortes suínos para a Índia e a retomada das exportações de cortes suínos para a Coreia do Sul.


A Aurora Coop firmou-se como a maior exportadora de carne suína do País: respondeu por 25,5% das exportações brasileiras de carnes suínas. No segmento de aves a participação foi de 7,2% das exportações de carne de frango.


PROJEÇÕES PARA 2023


O presidente da Aurora Coop acredita que 2023 será outro ano de desafios em consequência de menor crescimento da China, de possível recessão na Europa e na América do Norte e dos custos “persistentemente elevados” dos principais insumos – especialmente milho e soja. Assegurou, entretanto, que serão mantidos os níveis de produção para preservar os empregos, manter a sustentabilidade das amplas cadeias produtivas (suinocultura, avicultura e bovinocultura leiteira), contribuir com a segurança alimentar do País e gerar superávits na balança comercial.


A Cooperativa dará prosseguimento ao plano de investimentos que já vem sendo implementado há três anos para atender, simultaneamente, a vários objetivos, entre eles, o aumento da capacidade produtiva e a incorporação de inovação em várias fases do processo agroindustrial. A maior fatia do programa de investimentos – prevista em R$ 1,082 bilhão para 2023 – está orientada para o aumento da capacidade produtiva, seguido do atendimento de exigências legais, a manutenção da capacidade e inovação, além de melhorias e aperfeiçoamentos nas áreas de qualidade, segurança e saúde do trabalho.


SUINOCULTURA


A Aurora Coop manteve a liderança no segmento de suínos. Em 2022, o abate total de suínos nas sete plantas industriais cresceu 6,4% e atingiu 7,1 milhões de cabeças. A industrialização de carnes suínas subiu 5,2% e atingiu 404 mil toneladas; a produção in natura aumentou 10% e chegou a 686 mil toneladas. Em mais uma demonstração de capacitação e prestígio, obteve importantes habilitações para exportar carne suína ao Canadá, Filipinas, México e Singapura. Foi a maior exportadora de carnes suínas do Brasil. A cadeia produtiva da Aurora Coop tem, na base, 3.642 suinocultores integrados em Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná e Mato Grosso do Sul.


AVICULTURA


No segmento da avicultura de corte, a Aurora Coop abateu em suas nove plantas 288,5 milhões de cabeças, um incremento de 3% em relação ao volume total das aves abatidas em 2021. Uma rede de 2.286 avicultores integrados constituem a base produtiva nos estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná. A produção in natura de carnes de aves foi ampliada em 10,2% para 645 mil toneladas. A industrialização avançou 7,6% para 58,4 mil toneladas.


Várias ações foram desenvolvidas para ampliar a produção própria de pintainhos e aves matrizes. A ampliação do Incubatório de Chapecó permitiu elevar em 83% a produção de pintainhos, que saltou para 14,7 milhões de cabeças/mês. Por outro lado, as granjas próprias e de integrados parceiros geraram, durante o ano, 347,3 milhões de ovos, 94,61% dos quais eram incubáveis.


LEITE & MASSAS


O setor de lácteos enfrentou alguns transtornos. Foi afetado em 2022 pela estiagem nas regiões produtoras (que repercutiu na redução da produção), pela importação de lácteos (que aumentou a oferta no mercado doméstico), pelo achatamento do poder aquisitivo da população (que impediu a expansão do consumo de lácteos), entre outros fatores.


A Aurora Coop recebeu 507,5 milhões de litros de leite para processamento industrial, volume 8% abaixo do ano anterior. Essa matéria-prima permitiu, entre outros aproveitamentos, a produção 216,6 mil toneladas de industrializados (aumento de 2,3%) em oito linhas: bebida láctea, leite UHT, leite em pó, soro em pó, creme de leite, queijo em barra, queijo fatiado e requeijão. Primeiro leite do mundo a adotar o avançado sistema de rastreabilidade, essa matéria-prima é fornecida por 3.236 produtores rurais altamente treinados em estabelecimentos rurais tecnicamente qualificados situados em Santa Catarina e Rio Grande do Sul.


A linha de industrializados de massas – formada por lasanhas, pizzas, pão de queijo, sanduíches e prato pronto – evoluiu 33,2% para 11,4 mil toneladas.


A Aurora Coop encerrou o ano com aumento de 2% no quadro geral de colaboradores que chegou a 40.398 empregados diretos – 23.177 homens e 17.221 mulheres. O aumento de 865 novos postos de trabalho buscou atender a ampliação do processo produtivo nas 18 unidades industriais e a expansão da atuação comercial.


DESENVOLVIMENTO REGIONAL


A Cooperativa prestou importante cooperação ao desenvolvimento econômico das comunidades locais nos cerca de 700 municípios onde atua direta ou indiretamente. Essas regiões produtoras foram beneficiadas com a geração de R$ 2,1 bilhões em ICMS, R$ 11,7 bilhões em valor adicionado na atividade agropecuária, R$ 5,2 bilhões em valor adicionado na atividade industrial, além de R$ 2,5 bilhões em salários e encargos sobre a folha de pagamentos.


MANDATOS RENOVADOS


A assembleia geral da Aurora Coop elegeu, nesta semana, o Conselho de Administração para o quadriênio 2023-2027. Foram renovados os mandatos do presidente Neivor Canton, do vice-presidente Marcos Antonio Zordan e do secretário Romeo Bet. Como conselheiros foram eleitos Luiz Vicente Suzin (Coopervil), Marcos Antonio Trintinalha (Cocari), Élio Casarin (Cooper A1) e Ademir Proner (Coolacer).


O Conselho Fiscal também foi renovado e passou a ser constituído por Sérgio Luiz Marcon (Cooasgo), Luiz Carlos Chiocca (Copercampos) e Cláudio Post (Auriverde) como membros efetivos; e Vanduir Luis Martini (Copérdia), Arno Pandolfo (Cooperitaipu) e Cládis Jorge Furlanetto (Cooperalfa) como conselheiros suplentes.

Foto 01 – Presidente da Aurora Coop, Neivor Canton (Foto: divulgação/Aurora Coop).

Foto 02 – Vice-presidente Marcos Antonio Zordan, diretor comercial Leomar Somensi, secretário Romeo Bet e presidente Neivor Cantor (Foto: divulgação/Aurora Coop).


Fonte: MB Comunicação Empresarial/Organizacional

0 visualização0 comentário

Comments


bottom of page