Buscar
  • prcarne

Inovação na qualidade: Indústria Cárnea passa a utilizar luz ultravioleta

Existe uma vasta gama de intervenções antimicrobianas que podem ser utilizadas pela indústria alimentícia como medida de controle de qualidade para reduzir o índice de contaminação microbiana. Neste propósito, a luz ultravioleta C (UVC) também pode ser utilizada em plantas frigoríficas da indústria cárnea.


A luz UVC é uma tecnologia que já é utilizada há quase um século por diversos segmentos industriais relacionados com saúde pública e segurança alimentar. A Food and Drug Administration (FDA) dos EUA aprova a utilização da luz ultravioleta C (254 nm) como tecnologia de intervenção não térmica para controle microbiológico. Esta tecnologia pode ser usada para descontaminação de alimentos e até superfícies de contato com alimentos, tais como esteiras transportadoras, utensílios e embalagens primárias. Além disso, por ser uma técnica de desinfecção à seco, a luz UVC não deixa e nem consome nenhum tipo de resíduo químico e é considerada uma tecnologia verde.


Na indústria alimentícia, a luz ultravioleta é usada em várias aplicações. Com equipamentos de luz UV de alto desempenho, a água, o ar e as superfícies podem ser desinfetados de forma segura e confiável. Assim, o uso de produtos químicos é reduzido de forma econômica e ecologicamente correta. A luz ultravioleta demonstrou ser eficaz contra inúmeras espécies de bactérias, bem como para vírus (incluindo SARS-CoV-2) e fungos. A luz ultravioleta em comprimentos de onda de 254 nm destrói o DNA e RNA de todos os microrganismos. Desta forma, quaisquer tipos de microrganismos podem ser inativados em segundos. Bactérias em fase vegetativa, tais como Salmonella, Listeria e E. coli, não têm defesas efetivas contra os danos gerados pela luz UVC. Portanto, são extremamente vulneráveis e fáceis de serem destruídas.


Em áreas de processamento de carnes, a luz UV pode ser usada para fornecer descontaminação contínua de esteiras transportadoras na forma de um módulo projetado para expor a superfície da correia aos intensos raios ultravioleta conforme passa pela parte inferior da esteira. O módulo é facilmente removível para higienização e pode ser incorporado nas Boas Práticas de Fabricação (BPF). Nesta aplicação já validada, a potente ação germicida da luz ultravioleta é capaz de manter em níveis baixos as contagens de mesófilos totais e enterobactérias ao longo do dia todo. Este tratamento pode reduzir o número de lavagens necessárias durante o processamento, economizando recursos como água e custos de energia, além de proporcionar mais segurança e menos desperdício de alimentos.


A avaliação das possíveis fontes de esporos de fungos e bactérias no ambiente de processamento geralmente indica um acúmulo de matéria orgânica no sistema de ar condicionado. Para tratar o ar de ambientes fechados, sistemas de purificação de ar por recirculação são de simples implementação, econômicos e eficazes. Instalar sistemas de luz UVC nas bobinas de resfriamento também é eficaz para manter as aletas da bobina livres de acúmulo de “biofilmes”, que representam a maior fonte de contaminantes que circulam através do ambiente de processamento.


A luz UVC é uma tecnologia promissora e diferenciada em relação às outras tecnologias disponíveis no Brasil. Além de ser altamente eficaz, a luz UVC não produz nenhum tipo de resíduo químico e ainda promove redução significativa no consumo de água e produção de calor para esterilização de equipamentos. Isso vem de encontro com as demandas por sustentabilidade, temas recorrentes em várias pautas e agendas. É uma inovação para a indústria cárnea.


A Biolambda desenvolve soluções personalizadas para utilização de luz UVC na indústria cárnea. Se você tem interesse em mais informações, acesse: https://biolambda.com


Fonte: Expomeat

0 visualização0 comentário