Buscar
  • prcarne

Governo Federal conhece projeto da Univates e da Nutribras para geração de combustível com biomassa

Tereza Cristina, na última quinta-feira (28), conheceu um projeto desenvolvido pela Universidade do Vale do Taquari - Univates e pela empresa Nutribras, no Mato Grosso.


Cumprindo agenda no Mato Grosso, a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, na última quinta-feira, 28, conheceu um projeto desenvolvido pela Universidade do Vale do Taquari - Univates e pela empresa Nutribras, pioneira a introduzir o modelo de suinocultura autossustentável no Brasil.


O projeto desenvolvido pelas duas instituições permitiu o início da circulação, na quinta-feira, do primeiro caminhão do País abastecido e movido com aproveitamento de dejetos suínos. O biogás já faz parte do ciclo autossustentável da Nutribras, no qual os dejetos gerados já eram tratados de forma a produzir energia para a fazenda e a indústria. Com o novo projeto, desenvolvido em parceria com a Universidade, agora também é possível abastecer a frota.


A Univates e a Nutribras recentemente assinaram um convênio para a realização do projeto que estuda o potencial energético de biomassas residuais com diferentes características visando ao melhor desenvolvimento biotecnológico de biodigestores. A iniciativa é coordenada pelo professor da Univates Odorico Konrad. As atividades serão realizadas no Centro de Pesquisa em Energias e Tecnologias Sustentáveis (CPETS) no Mato Grosso.


O superintendente executivo da Fundação Univates, Oto Roberto Moerschbaecher, esteve presente na visita da ministra. “Houve um contato entre a Universidade e os representantes da Nutribras, o que culminou com a construção do projeto a partir do conhecimento científico”, explica. “O professor Odorico esteve no Mato Grosso algumas vezes e trabalhou por alguns meses na iniciativa, coletando dados para avaliação posterior. A equipe da Univates, na sequência, também desenvolveu o processo de purificação do biogás gerado pela Nutribras até que fosse possível obter o biometano”.


O diretor presidente da Nutribras Alimentos, Paulo Lucion, diz que a novidade apresentada durante a visita da ministra Tereza Cristina foi o resultado de investimentos em pesquisa e desenvolvimento para transformar o biogás e biometano, um combustível verde que tem capacidade de substituir o GNV (Gás Veicular). Também representou a conquista de viabilizar o abastecimento do primeiro caminhão movido a biometano proveniente de granjas de suínos no Brasil. “Foi uma satisfação inexplicável”, comenta ele.


O diretor presidente da Nutribras Alimentos, Paulo Lucion, diz que a novidade apresentada durante a visita da ministra Tereza Cristina foi o resultado de investimentos em pesquisa e desenvolvimento para transformar o biogás e biometano, um combustível verde que tem capacidade de substituir o GNV (Gás Veicular). Também representou a conquista de viabilizar o abastecimento do primeiro caminhão movido a biometano proveniente de granjas de suínos no Brasil. “Foi uma satisfação inexplicável”, comenta ele.


Conforme o professor Odorico Konrad, os objetivos do projeto em curso com a Nutribras são a realização de consultoria técnico-científica e orientação para uso de tecnologia de digestão anaeróbia, o estudo do potencial energético de biomassas residuais a partir de ensaios de biodigestão e o monitoramento quantitativo e qualitativo de biogás em biodigestores. “A empresa já tem produção de biogás, a partir de dejetos suínos, na cidade de Vera, no Mato Grosso. Realizamos a etapa de análise da quantidade e da qualidade do biogás e avaliamos o que pode ser melhorado no processo de produção desse biogás. Após, purificamos o biogás gerado para que ele possa ser usado como combustível veicular”, explica Odorico.


Para as atividades, foi levado para o Mato Grosso o Laboratório Móvel da Univates, que foi doado à Instituição pelo Governo da Alemanha, por meio de convênio para pesquisa e avaliação da qualidade do biogás em plantas de biodigestão. O projeto está relacionado a pesquisas e atividades desenvolvidas no âmbito dos Programas de Pós-Graduação em Ambiente e Desenvolvimento (PPGAD) e em Sistemas Ambientais Sustentáveis (PPGSAS) da Univates. Também está vinculado ao Parque Científico e Tecnológico do Vale do Taquari (Tecnovates).


Expertise em biogás


Na Univates, os estudos na área de biogás são realizados há mais de 15 anos, sob coordenação do professor doutor Odorico Konrad, que é referência nacional no assunto e tem ampla participação em pesquisas e eventos internacionais, especialmente na Alemanha e na Suécia. O docente tem experiência na área de engenharia ambiental e sanitária, atuando principalmente nos seguintes temas: biogás, compostagem, biorreatores, energias renováveis, resíduos sólidos e saneamento ambiental.


No CPETS, coordenado por Konrad, são realizadas pesquisas na área de energias renováveis, especificamente na geração de biogás por meio do processo de biodigestão anaeróbia. Além disso, realizam-se avaliações em biogás empregando como fontes de biomassa lodos advindos de estações de tratamento de efluentes, borras residuais, resíduos oriundos de atividades agrícolas, como dejetos de animais (bovinos, suínos, aves), e demais resíduos com potencial de uso em biodigestão anaeróbia.


Fonte: Suinocultura Industrial com informações de Univates


© 2021. Todos direitos reservados a Gessulli Agribusiness. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

0 visualização0 comentário